quinta-feira, 12 de agosto de 2010




Vida e Morte, começo e fim de ciclo
Existe uma amiga que está indo embora, ela é muito importante na vida de outra amiga...um círculo de mulheres.

Quando nossa identidade fica clara para nós mesmas, quando lembramos das datas e dos momentos em que as coisas nos aconteceram? Se for isso, eu sou um desastre, não guardo nomes, nem datas, nem anos...perco a linha, a direção e até mesmo a noção!
Será que sou normal?

énormal não se lembrar ao certo quem te machucou e quando?
é saudável perdoar o imperdoável?
sentir falta do que não faz bem, e relembrar o que deveria ser esquecido?

Muitas vezes, penso que Deus me fez com alguns parafusos a menos, será que sou a única

Triste por perder pessoas queridas, sentida por não poder dar colo a quem eu gostaria.
Mas quem pode fazer tudo isso? Tem alguma super mulher de plantão para me dar algumas dicas extras?

Boa noite amigas e amigos,
Vou tentar sonhar, no lugar de abraçar a melancolia!

2 comentários:

Francine disse...

Sabe, Lulu... acho que anormal é ficar guardando mágoas... isso é o tipo de coisa que faz mal...

Estar de bem com a vida e saber que se pode fazer a diferença na vida de alguém com gestos simples, isso sim trás a felicidade.

Não é são coisas grandiosas que ajudam a alguém, e sim os pequenos detalhes... por mais que as pessoas muitas vezes nem percebam que foi de grande ajuda...

Amalin disse...

Penso que somos apenas observadores dos ciclos... chegada e partida... observadores apenas.

A Vida como um Caminho, sem início, sem fim. A maior de todas as ilusões: a morte, e se esta é uma ilusão apenas, também nunca nasci, apenas Existo, apenas sou a própria Existência observando a si mesma.