sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Novos rumos e a vida me dá o que ? vento em popa!

Penso que muitas vezes o  medo da mudança nos empurra para ficar  no mesmo lugar, mesmo que este não seja nosso desejo visceral.
Hoje vivo uma fase nova, e cheia de desafios, especialmente para a faixa etária em que me encontro, perto de 52 anos quando muitas de nós já assentou e busca uma tranquilidade maior...
E eu???
Estou no início de uma nova jornada , bem agora, depois de meio século de vida...
Vivo entre dois continentes, e mantenho meu centro cultural vivo aqui no Brasil

Estava em dúvida sobre minha permanência no mercado de dança, e pedi ao Universo que me enviasse motivos ou indicações sobre qual caminho seguir e eis que: em menos de dois meses, convites chegaram de lugares inusitados, me mostrando que ainda tenho algo a fazer.

Lugares que não supunha serem possíveis para meus cursos, Belfast - Irlanda do Norte, e França com um curso de formação.
Quando aquela menina baixinha, de óculos e bota ortopedica, ia imaginar viajar tanto dançando e ensinando?

Até hoje me surpreendo e me sinto abençoada, por poder viver este sonho acordada.
Tantas regras em minha vida, foram quebradas... para o bem!!

Me casei cedo, tive alguns filhos 4 para ser exata que foram os bebês que nasceram e mais dois que perdi durante a gestação.  Me  divorciei aos 41 anos, imaginei que ok, já vivi o suficiente, agora é trabalhar e cuidar dos pequenos... ai ai ai, conheci o grande amor da minha vida, já na fase madura, o que nunca imaginei, e tive minha mais nova, com 42 anos.

Aí era hora de amainar né gente? Bom dei um jeitinho fechei a fábrica biológica senão era capaz de ter bebês um atrás do outro, pois contando com os que não foram até o final da gestação , foram 8 que viveram dentro da minha caverninha especial entre os que terminaram a  jornada no tempo certo e os que se foram mais cedo.

Hoje me sinto tão bem, apesar de claro, lamentar as vezes a passagem do tempo. Amo intensamente meu marido, que é meu melhor amigo, e um amante incrível. Tive filhos e filhas, que hoje me enchem de orgulho, e ainda danço!! Fala sério, eu ainda danço...as vezes não consigo acreditar, em tantos presentes.

Então o texto de hoje é para agradecer.
Todas as pessoas, homens e mulheres, que me trouxeram até aqui.
Meus bons momentos, meus não tão bons momentos...
Tudo me ensinou e ainda vai me ensinar mais....

Seguindo o vento, eu vivo entre America do Sul e Europa, voando de lá para cá, e vendo meus amores, nos dois continentes, crescerem como pessoas e seres humanos.
Ainda me pedem para dançar, e eu tenho a chance de ter olhos atentos sobre mim

Hoje só uma palavra me define, só hoje ....GRATIDÃO!

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito lindo, parabens por nao aceitar o mesmo, não aceitar a zona de conforto.
Suas palavras me servem de motivação, estou numa fase de decisão entre seguir a razão ou o coração, que dificil escolha....obrigada...Gabriela (Gabriella Mooon)