segunda-feira, 13 de agosto de 2012

As fases e armadilhas da vida de uma bailarina - Parte II

 As fases e armadilhas da vida de uma bailarina - Parte II

E continuam as armadilhas , onde vamos cair agora?

Os bastidores da dança e o vírus do anonimato.

Um pequeno intervalo nas armadilhas para falar de uma trapaça muito comum em nosso meio e nada saudável.

Compartir opinião é um dos melhores exercícios mentais que podemos fazer, até mesmo para testar nossas crenças e impressões.

O problema é quando, no lugar de ser honesto e se colocar pessoalmente frente a uma afirmação ou texto publicado, onde quer que seja, as pessoas se escondem atras de um apelido fantasma, para dizer o que querem, sem assumir os riscos por isso.

Sempre escrevi no aberto, e vou continuar assim. Depois de uma certa idade, e também maturidade, a gente aprende que é responsável pelos próprios atos, e também por nossa infelicidade.
 Ninguém tem seu tolken do banco,  para deixá-la mais pobre de uma hora para outra.
Se vc tem sucesso a responsabilidade é sua, se não está bem, é sua também. Não coloque sobre o ombro alheio a direção da sua vida
O ônibus é seu, então seja o motorista!
Sua felicidade é sua responsabilidade, e de ninguém mais!

Opinião é como bum bum, todo mundo tem o seu, então que tal abrir um parenteses e respeitar a opinião alheia. Não me cabe julgar ninguém, mas tenho o direito de me colocar e faço isso de forma clara e absolutamente direta. Não uso atalhos, portanto me coloco a disposição das pessoas que querem de fato uma conversa adulta, que se comuniquem nas mesmas bases. Idenfifique-se e vc merecerá respeito, seja anõnimo e vc merece ser ignorado.

Afirmo uma vez mais. Ao utilizar qualquer método extra de aprendizagem tais como:
  • anotações da minha amiga
  • Videos no youtube
  • dvds didáticos de quem quer que seja
  • gravações caseiras que mostrem minhas amigas dançando
  • 1 workshop na vida ou mais
Deixei de estar sózinha na estrada, já me alimento da arte e criatividade de outros e por isso estou no coletivo
Uso o que está a minha volta para aprender, tenho conecções, tenho pontes, não estou só!
Não caia na armadilha de acreditar que o anonimato te dá o direito de ataque indiscriminado.
Se quer respeito, respeite primeiro!



4 comentários:

erika disse...

Parabéns Lulu! Texto incrivel.

A Força da Cultura Árabe disse...

Mestra você é incrível, anos de estrada, pioneirismo, é nossa embaixatriz! Os anônimos... escória, reflexo da inveja e incompetência.
A você meu respeito e admiração.

Sahira Ma Ajniha disse...

Certissima amada. Bjs no seu coração

Ana Paula Ferreira da Silva disse...

Obrigada pela sinceridade! As relações inter-pessoais precisão disto.