quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Profissional em Dança do Ventre ? O que?


A profissionalização na Dança Oriental.

Um assunto polêmico pois muitas das praticantes usuais desta dança acabam de alguma maneira, se envolvendo em atividades que parecem profissionais, mas não são, e dali  nasce uma grande confusão entre as amadoras de plantão, e aquelas que de fato fazem da dança sua profissão.
O que definiria a diferença entre o amador e o profissional de uma determinada área?
Para que não surjam dúvidas ou manifestações de cunho pessoal, aqui vai a definição do Aurélio: ( a definição não está na íntegra, mas essa fonte é conhecida de todos e pode ser acessada facilmente)
http://michaelis.uol.com.br/imagens/caixa-be.gifhttp://michaelis.uol.com.br/imagens/caixa-bd.gif
a.ma.dor
adj (amar+dor2) 1 Que ama. 2 Relativo a amador. Praticado por amador. sm  O que cultiva qualquer arte ou esporte, por prazer e não por profissão; curioso. 3 Aquele que trabalha sem remuneração. 4 Aquele que entende superficialmente de alguma coisa, de regra, autodidata. 5 Apreciador, entusiasta.

pro.fis.si.o.nal
adj m+f (lat profissione+al3) 1 Relativo, próprio ou pertencente a profissão: Ética profissional. 2 Que prepara para certas profissões: Escola profissional. 3 Que exerce uma ocupação como meio de vida ou para ganhar dinheiro: Soldado profissional..  pej Que faz um negócio ou meio de vida de algo que não é propriamente considerado como tal: Político profissional. s m+f 1 Pessoa que exerce, como meio de vida, uma ocupação especializada: Os profissionais da publicidade. 2
Depois de ler as definições que são definitivamente aceitas de forma oficial, uso as mesmas para fazer meu paralelo.
Para construir sua carreira profissional como bailarina ou professora, algumas considerações precisam ser estabelecidas e também sua linha de objetivos.
Antes de mais nada, você como profissional utilizará a dança para sua sobrevivência e por isso mesmo estará sujeita as leis do mercado, a demanda da oferta e da procura como é com qualquer serviço ou produto que esteja a disposição do público.


Estando inserida dentro de um meio , vc passa a gravitar em termos comerciais, em contato com tudo o que envolve o ambiente de trabalho escolhido
Penso que nos dias de hoje, para sobreviver com da a dança o único caminho possível é o crescimento pessoal e o compartilhamento.
Sua qualidade cresce e se desenvolve de acordo com sua dedicação e prática. O investimento em aulas e na repetição técnica de qualidade, constroem seu corpo para a dança e para as apresentações.
Este investimento para uso pessoal, é menor do que aquele direcionado para  figurinos e produção , mas essencial,  por cuidar da semente de tudo, que é  você.
O profissional seja em qual área for, terá sempre que primar por estar atualizado em sua área, oferecer um serviço de qualidade ( como professora ou bailarina) e se manter conectado com as necessidades próprias na área de sua atuação.
De fato ao oferecer conhecimento para o corpo de outra pessoa, o vínculo que se estabelece é muito mais duradouro e marcante, do que a simples troca de mercadorias entre comprador e vendedor.
Vejo isso em mim mesma,quando recordo dos meus professores, que ainda hoje vivem em minha dança e em minhas aulas. O que nos dão, é para a vida e não para um momento.
Desta maneira acredito que o papel de cada uma de nós profissionais da dança Oriental, deveria ser sempre, o caminho do aprofundamento com qualidade. Para cuidar do outro, cuido de mim primeiro.
Para ensinar ao outro, eu busco um professor.
Criamos uma cadeia interligada de pessoas, que passam conhecimentos, de uma a outra, no decorrer de anos e envolvendo diferentes gerações
Ser Profissional seria passear por estas áreas descritas abaixo, e ainda assim manter o frescor da certeza de estar fazendo o que se quer e conseguindo sobreviver  a partir desta escolha.
Segue uma pequena lista de sugestões que considero necessárias a qualquer pessoa que se auto intitule profissional.
·         Estudar sempre, buscando a permanência de sua qualidade e a inspiração necessária para novos voos criativos e profissionais.

Para quem conhece a Shangrila House hoje, essa é a foto de nossa inauguração em dezembro de 2007

·         O que importa num workshop ou intensivo de final de semana, não são suas colegas de classe ou o nível do curso proposto, mas sim quem está na sua frente oferecendo a aula. Olhe apenas para o professor e decida se ele(ela ) vale a pena.
·         As vezes nosso corpo ainda não está preparado mas a mente está, mantenha a sua aberta se sempre arejada.
·         Dançar não é relaxar;  a dança é uma atividade energética e absolutamente física. Para isso seu corpo deve estar preparado. Essa preparação é uma rotina que deve fazer parte de sua vida para sempre.
·         Sentir e pensar são amigos inseparáveis. Meu corpo não pode apenas compreender mas sim perceber , para poder se expressar.
·         Mergulhar na cultura a qual esta dança pertence, compreendendo melhor o gestual, e a forma poética que se manifesta através da música árabe
·         Ser flexível, o mercado de dança é uma rua de duas mãos, as vezes vc vai , mas sempre tem que voltar.
·         Cuidado com a caridade em demasia, ela prejudica sua sobrevivência como profissional. Escolha seu lado da estrada. As vezes é muito melhor ser uma amadora feliz e despreocupada do que uma profissional estressada e deprimida.
·         Prepare-se para dedicar-se muito mais do que o resto do mundo. Não aguarde grandes recompensas, na hora certa elas virão.
·         Não acredite que chegou lá, a estrada sempre é a melhor parte , aproveite a sua , muitas surpresas virão.
·         Conte sua história  e respeite cada passagem que te trouxe até este ponto onde está hoje
Memória curta é igual a elástico frouxo de snjus como diz minha amiga, não serve para nada
Guarde a sua, e honre todos os seus passos.
Bons estudos e boa preparação profissional
Lulu


3 comentários:

Rosana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosana disse...

Boas dicas! O profissional é um eterno aprendiz que está sempre se reinventando. A bailarina e a professora devem ter isso em mente para serem bem sucedidas. :)

Michele Leoni disse...

Adorei as dicas, acabei de decidir... Quero essa vida pra mim, minha alma esta pedindo. Mas tenho uma dúvida... Existe um limite de idade pra iniciar de forma que valha a pena? Comecei a seis meses fazer as aulas e já tenho 30 anos, é tarde possa correr atrás de um sonho?